Escritórios eliminam vestimentas e linguagem formais

Escritórios de advocacia da Inglaterra e Estados Unidos eliminam códigos de vestimenta formal e o uso de linguagem pomposa para tentar se modernizar. Alguns escritórios, como o americano Quinn Emanuel, aboliram o uso do termo “excelentíssimo” nas suas correspondências legais, instruindo seus profissionais a usarem formas mais coloquiais como “caros colegas” ou “caros advogados”.
Além de romper com a tradição e a formalidade, o intuito é usar formas de tratamento que sejam neutras de gênero, levando em consideração que cada vez mais mulheres também ingressam nas profissões do direto.

Já o escritório Pinsent Masons abandonou o seu código de vestimentas para seus funcionários, que continha duas páginas. Ao invés disso substituíram as normas de vestimentas por apenas uma frase aconselhando seus funcionários a se “vestirem adequadamente para o seu trabalho, agenda e parte interessadas”.

Pequenas mudanças no modo como as pessoas tratam umas às outras e no que podem ou não vestir podem parecer insignificantes, mas podem trazer um enorme impacto positivo para a cultura dos escritórios de advocacia e auxiliar no recrutamento e retenção de profissionais.
No atual momento em que os escritórios de advocacia enfrentam cada vez mais concorrência, seja de outros escritórios ou até de legaltechs, ações como estas podem ajudar a modernizar a imagem do setor e até mesmo atrair novos clientes.

Fonte:
Valor econômico https://valor.globo.com/carreira/noticia/2020/02/18/escritorios-de-advogacia-eliminam-codigo-de-vestimenta-e-linguagem-pomposa-para-modernizar-imagem.ghtml