3 Novas Carreiras Jurídicas Voltadas Para A Tecnologia

Com a crescente demanda de escritórios de advocacia e departamentos jurídicos por tecnologia, concomitantemente abrem-se novos caminhos e carreiras para profissionais da área do direito.

Dentre os trabalhos que surgiram como resultado das novas tecnologias, três deles podem ser uma aposta para advogados e profissionais do direito interessados em tecnologia, data, e inovação, de acordo com discursos de especialistas no Bar Association’s TechShow que aconteceu em Chicago na última quinta-feira. São eles: Tecnólogo jurídico, especialista em aquisição/contratação de serviços jurídicos (legal procurement) e diretor de inovação.

O trabalho do tecnólogo jurídico consiste em diminuir o gap entre os operadores de direito e o departamento de TI ou desenvolvedores, seja dentro de um escritório de advocacia ou de uma companhia voltada para legal tech. Os profissionais de TI geralmente encontram dificuldade em se comunicar de maneira adequada e entender a linguagem dos advogados, e vice-versa. De modo que ter um advogado conhecedor de tecnologia, que exerça essa função híbrida dentro do staff, pode manter a fluidez dessa comunicação, tornando-a mais efetiva na busca conjunta de soluções.

A aquisição/contratação de serviços jurídicos é outra área onde um advogado pode aproveitar os conhecimentos que já tem para direcionar sua carreira. Foi-se a época em que um escritório de advocacia podia simplesmente determinar a quantidade de horas necessárias para a execução de um serviço e cobrar seus clientes com base nisso. A “compra” de serviços legais tornou-se algo muito mais complexo.

Os serviços jurídicos são um dos primeiros aspectos que as companhias pensam em “cortar” de seu budget em época de recessão ou quando há algum imprevisto financeiro dentro da empresa. As empresas estão incessantemente em busca de contratar o melhor serviço jurídico pelo menor preço. Um advogado com conhecimento de análise de dados, lucratividade e contabilidade pode ser de grande valor para as companhias.

Outra função em ascensão é a de diretor de inovação dentro dos escritórios de advocacia – cargo que tem se tornado cada vez mais popular nos Estados Unidos nos últimos anos. Essa função exige do advogado, além de conhecimento em tecnologia, capacidade gerencial e de liderança, e a tão falada habilidade de “pensar fora da caixa” para trazer soluções para problemas complexos.

Os escritórios precisam de Diretores de Inovação não apenas por demanda interna, mas porque os clientes estão exigindo inovação por parte dos advogados, e exigindo que o serviço contratado seja executado de forma rápida, barata e mais eficiente possível, o que força os advogados a serem criativos sobre como otimizar seu próprio trabalho.

Isadora Savazzi Rizzi